Sob o sol…

Estava ontem, depois do almoço, perdido pelos jardins das redondezas pensando na vida quando me ocorreu o pensamento: Hoje, eu não odeio ninguém.Acho que foi inspirado por alguma cadeia de pensamento que eu tive enquanto fazia minha “Tarea” para hoje, sobre o Espiritismo.Mas voltando, comecei a desenvolver a idéia e cheguei a uma rápida conclusão de que realmente, hoje, eu não odeio ninguém. Pensei um pouco nas pessoas que me rodeiam diariamente, e vi que não consigo ter um sentimento tal por essas pessoas. E, ao mesmo tempo, me dei conta que não amo alguém há um bom tempo…

Mais à noite, cheguei em casa e achei que isso tinha se resolvido em minha cabeça, mas percebi que não ao chegar à faculdade. Algumas atitudes de algumas pessoas acabam por me chatear profundamente. É impressionante como a atitude infantil dessas pessoas me irrita profundamente. Foi aí que eu cheguei à conclusão que eu me oponho radicalmente a certas posturas, a certos comportamentos.

Quanto à questão do amor, acho que amei sim… Mas ver morrer acabou por me matar um pouco junto, me deixar um pouco menos sensível, pelo menos, temporariamente.

O bom disso é que eu (re)descobri que a música continua tocando minha alma, despertando meu espírito e me pondo sempre pra cima, durante esse post.

(Escrito e postado ao som de Machine Head – Ten Ton Hammer e The Blood, The Sweat, The Tears)