Pondo portões na praia

Acabei de ler uma matéria na Folha Online que me deixou, no mínimo, intrigado: Rio limita total de cadeiras e proíbe a caipirinha e o queijo coalho em praias
Agora, nas praias cariocas, os ambulantes e barraqueiros tem um número máximo de cadeiras que podem usar, bem como caixas térmicas, além de não poderem ter facas e facões nas barracas.
 
Eu não posso concordar que um número muito grande de cadeiras e mesas deixa a praia feia, cheia de cores artificiais. Talvez uma limitação um pouco mais racional, mais cuidadosa, pudesse ter sido mais bem aceita. O problema é: isso limita a possibilidade de ganhos dos vendedores.
 
Quanto à proibição de determinados gêneros, aí não tem jeito: tem coisa que deteriora fácil mesmo, não dá pra deixar esse risco pra população. O complicado é que, no meio disso tudo, proibiram de jogar bola na praia das 8h às 17h. É no mínimo ridículo! Querem que a molecada pratique esportes, promovem o contato com a natureza, mas proibem o esporte bem ali, na praia? Como é que eu entendo isso?
 
Será que vamos chegar a um ponto de colocar portões e catracas nas praias, em nome de se cultivar uma imagem falsa, só pra atrair turistas?
 
Que fique claro que não estou defendendo o comportamento predatório e destrutivo do ser humano, que deixa lixo em todo lugar. Acho sim que precisamos ter mais educação das pessoas para com o ambiente, para com elas mesmas.
 
Essas medidas, vão melhorar as coisas? Espero que alguém me mostre outro ponto de vista nos comentários…