ApocaLIEpse

Estava pensando nessa sensação de "fim de mundo" que invade a gente no fim do ano, especialmente hoje, véspera do mais recente apocalipse anunciado.
Me incomoda essa atitude de "acaba logo essa porcaria", esse desdém pelo planeta que, até ontem, seria o futuro lar de filhos, projetos, idéias de mudança e crescimento…
Não!
A coisa tem que ser diferente! Por que não encarar o mundo com toda a vontade que tínhamos até semana passada de começar de novo? De inventar mil coisas? Aquele sentimento falso de 31 de dezembro de "ufa, acabou outro ano, que venha outro" precisa ter algum fundamento de verdade. Temos a chance de recomeçar, dia após dia, e precisamos de uma ameaça de destruição total para sequer chegarmos perto de uma reconstrução de pensamentos e paradigmas?
Por que não reconstruir tudo, sempre? A cada passo, a cada dia, distribuir um sentimento bom, um sorriso de canto de boca ao menos… Não é o mundo que está acabando, é uma nova era que se desenha no horizonte para todos que desejarem assim.
Os outros, infelizmente, continuarão presos em seus abrigos cinzas de mesquinharia, tristeza e solidão coletiva.