Deixando tecnologias para trás (ou a evolução é um caminho de abandono)

O título é dramático, eu sei. Mas manifesta a minha surpresa ao encontrar dificuldade para revelar um filme 35mm, antigamente o mais popular entre os fotógrafos amadores.

Fui à Automatika, na Av. Francisco Prestes Maia, em São Bernardo do Campo, feliz, revelar as fotos de que falei nos últimos posts. A atendente me olhou surpresa:
– Não revelamos filme aqui.
– Mas eu comprei esse filme aqui!
– É que a gente tem no estoque. Mas não revelemos mais.
– E onde revelo?
– Xii, não sei. Acho que só lá pra São Paulo.
Interessante a cara dela enquanto eu segurava o rolo de filme perguntando pelo destino dele. Era uma cara quase de alguém que lida com algum tipo de material contaminado, ou até mesmo como se eu levasse fezes naquele potinho e tentasse entregar no balcão de uma delicatessen.
Bom, pra tudo, Google. E ele também demorou a me ajudar. Acabou apontando para a Fotoplan, no ABC Grand Plaza Shopping, em Santo André.
Liguei:
– Fotoplan.
– Boa tarde, vocês revelam filmes analógicos?
– Olha, revelo. Só que demoram 7 dias, vai lá pra matriz em São Paulo.
Uau, vai lá pra Matriz, em São Paulo! Puxa, tecnologia de ponta! Mas deve estar na ponta de lá do ciclo evolutivo…
Interessante como o abandono de uma tecnologia, mesmo ainda existindo alguns interessados e mesmo com o mercado fotográfico aparentemente em alta faz com que ela pareça algum tipo de doença infecto contagiosa.
Ainda em tempo: atendentes novinhos(as), quando você pergunta de filme fotográfico, te olham com uma cara de "o que é isso? Morde?". É divertido!
Então, sendo assim, na próxima 4a devo ter minhas fotos analógicas prontas. Aí escaneio e estarão aqui, devidamente avaliadas e para avaliação.