Zoo Luján: impressões sobre a atração mais polêmica da Argentina

Como prometido, vamos falar de Zoo Luján.

O Zoo Lujáné um zoológico bem diferente do que você está acostumado: nele, você entra na jaula de tigres, leões e outros animais.

Vamos começar falando de como chegar. No site você encontra vários detalhes, mas não encontra o principal: van.

O jeito mais fácil e com melhor custo benefício é ir de van. Em frente ao Obelisco, bem no centro da cidade, tem um terminal subterrâneo de vans e ônibus. Pergunte a qualquer policial como chegar que você se dá bem. Chegando lá, pergunte qual van vai para o Zoo Luján (não esqueça do buenos dias e do por favor). Me custou 120 pesos ida e volta.

O truque é que você precisa reservar um lugar, e isso ninguém te fala de primeira. Assim, se não conseguir lugar na primeira van que parar, peça ao motorista que reserve lugar para você na próxima. Elas passam em intervalos de 15 a 30 minutos. Recomendo chegar no terminal bem cedo, umas 7:30 ou 8:00.

Lugar reservado, quando a próxima van chegar, seu nome estará numa lista. Peça ao motorista que avise quando chegar ao zoológico. Pronto, é subir, relaxar e curtir a viagem de aproximadamente 1:10. Não recomendo assistir o caminho pelo pára brisa: você vai notar que o motorista não é exatamente um primor de habilidade! Aprecie a paisagem!

Chegando lá, há uma menina que reserva a van para a volta. É imprescindível que você reserve a van agora.
Essa menina diz que em 3 horas você cumpre o “recorrido” do parque. PORRANENHUMA! Reserve umas 5 ou 6. Reservei 4 e no fim não consegui ir a todas as jaulas que queríamos ir. Guarde os tickets que ela vai te entregar! Ela não os pega de volta, mas é sua única garantia de reserva.

Bom, caminho feito, detalhes dados, vamos entrar no parque! A entrada custa $150 pesos por pessoa. O valor parece valer bem a pena.

Pague, pegue seu mapa e siga as instruções da molecada que toma conta do local. Logo na entrada há uma barraca que vende a comida que você pode dar para os animais que ficam soltos. Recomendo MUITO forte que compre. Rende ÓTIMAS fotos, ainda mais com crianças.

Sim, você leu certo: animais soltos! Lhamas, patos, gansos, camelos, todos soltos. As lhamas são bem fominhas, tome cuidado em deixar a comida exposta! Elas até te seguem por algum tempo. Tome cuidado com elas também na questão da cusparada: se notar que estão muito quietas com os dentes da frente à mostra, saia de perto ou arque com as consequências!

Bom, você passou ileso pelas partes burocráticas e é hora de encontrar a fonte de toda a polêmica: os grandes felinos em suas jaulas!

Escolha a sua jaula preferida e entre na fila: em média,  45 min a 1 h de fila para cada jaula. Sinceramente, é uma sensação sem precedentes estar cara a cara com um tigre branco, como foi comigo. É surreal um animal daquele porte deitado na sua frente, como se dormisse… Isso, como se dormisse. E a polêmica está aí. Muitos dizem que os animais estão dopados. O zoo se defende dizendo que são a 5a geração de animais criados em cativeiro com cães, o que os torna dóceis a este ponto. Recomendo que vá e tire suas próprias conclusões.

Você encontra na internet depoimentos de veterinários que dizem não haver sinais clínicos de uso de qualquer droga nos animais, porém, ninguém do zoo fala do assunto.

O que me chamou atenção foram as condições de um dos leões, que já tem 18 anos. Mal tem músculos! O seu filho andava impacientemente de um lado a outro na jaula enquanto tirávamos fotos com ele. O neto, tão impaciente quanto, andava numa jaula menor, dentro da que estávamos. O urso, que até algum tempo atrás recebia visitas, estava isolado.

Não se esqueça de levar sua câmera e de seguir as instruções dos guias e tratadores. Você não quer que um gatinho desses resolva brincar de bolinha com você de jeito nenhum!

Quanto à comida, pode almoçar lá, sem muito medo. O choripán é bom, há outras opções de sanduíche e também um restaurante. Preços não muito convidativos, mas ainda assim vale a pena.

Pra dar aquela relaxada depois do almoço, vá ver os animais de fazenda. Patos e gansos vivem soltos pelo zoo e tem viveiros específicos para cabras, bodes e ovelhas. Tome cuidado com o seu cachecol, ou ele vira almoço de bode!

Ultimas recomendações: vá preparado para enfrentar filas e seguir ordens à risca quando nas jaulas. Você vai andar bastante também, logo, não se esqueça do conforto nas roupas. Veja a previsão do tempo pro dia que vai na região de Luján.

No dia de ir ao zoo, PERFUME ZERO. Você não quer um bichano super crescido encanado com seu cheiro.

A mais importante delas é: nas jaulas, só entram maiores de 16 anos. Isso mesmo, 16!
Logo, não prometa pra molecadinha mais nova que vai levá-los ao Zoo Luján: eles terão de ficar te esperando do lado de fora das jaulas e seu passeio vai se tornar uma imensa frustração.

Bom, depois de andar bastante, não se atrase para a volta da van. Ela não te espera e, perdendo a sua, pode ficar sujeito a ter de esperar uma possível vaga em outra (que nem sempre ocorre) ou ter de fazer o caminho de volta de táxi. São 65 km aproximadamente, o que vai causar um belo estrago no seu bolso, considerando que também há o pedágio no caminho.

Meu veredito? Não deixe de conhecer!